Astrologia vs Astronomia

O SIGNO SOLAR: indica a constelação zoodiacal em que o Sol se encontra projectado, visto do planeta Terra, ao longo do ano. Encontrei uma maneira expedita de verificar o signo solar para qualquer data após 1900/01/01.
Numa folha de cálculo a data é convertida em número de série que depois é usado como argumento de hiperligações externas no respeitável site do Heavens-Above.com
TESTAR

 

 Preâmbulo 

Tendo diversas vezes debatido este tema com muita gente que dá créditos à astrologia, sobretudo como explicação dos atributos da sua própria personalidade, resolvi disponibilizar na minha homepage a minha contribuição numa longa "discussão" (que aliás também se repete ciclicamente) entre astrónomos amadores portugueses, com (algumas) posições pró e contra.

 

Provavelmente poderão acusar-me de não (re)tirar conclusões… mas, as questões relacionadas com a inconsistência do modelo astrológico são tantas e tantas que deveria merecer um exame científico sério não apenas sobre os pressupostos, como também a metodologia as predições e a capacidade de explicação dos fenómenos.

 

Os textos que se seguem correspodem a algumas msgs trocadas na astrolista sobre o tema Astrologia vs Astronomia. Houve muita gente que interveio e poderá parecer injusto não colocar aqui as suas questões pertinentes… mas a minha selecção diz mais repeito às questões que coloquei.

Posteriormente à minha primeira msg introduzi algumas notas assinaladas, com [], e corrigi ainda pormenores, mas sem qualquer detrimento da linha de raciocínio inicial.


MSG 1627
From: "Pedro FÉLIX" <pedro.felix@…>
Date: Sat Jan 22, 2000 2:17 am
Subject: [astronomia] Re: Re2: Astrologia vs Astronomia

 

Tenho gostado de algumas (e confesso que poucas) coisas deste debate entre Astronomia versus Astrologia e por isso deixo estas minhas interrogações e críticas em relação à Astrologia, que não são apenas de ontem, na esperança de obter réplicas interessantes.

Astro: Logia ou Nomia? “Não negue à partida uma ciência que não conhece!”

 

 Um texto de introdução :

MORGANA

É inacreditável! Como me pude ter enganado? … Dez de Julho… Corto Maltese é Caranguejo!

 

BOCA DOURADA
“Sim… sim… querida Morgana: Há mais de dois mil anos que as regras astrológicas não se alteram. É esquecer que ao longo dos séculos o eixo da Terra se desloca. E aí… muda a posição das estrelas. Hoje contam-se 14 signos no círculo do Zoodíaco. Ora, a maioria dos astrólogos recusa-se admiti-lo. Uma vez que se atribui 26 dias em vez de 30 a cada constelação, arranjou-se o espaço necessário para outras duas, que, a meu ver não desagradariam em nada ao meu discípulo Michel Nostradamus, o seu Hippocampus e a antiga constelação egípcia do Gato, designada agora por Cão Menor, e não Cetus ou Ophiuchus como o queria um grupo de Rosacruzes. O Gato situa-se entre os Gémeos e Caranguejo. Assim Corto Maltese, que deveria ter nascido sob o signo do Caranguejo é de facto nativo do Gato. Herdou no entanto as características dos Gémeos. Vês assim, Morgana, que não te enganaste muito.”
Michel PIERRE, Hugo PRATT: Corto Maltese Memoires (CASTERMAN, 1998 ) 

 

 História : A astrologia posicional encontra-se ainda na época de Claudius Ptolomeu [(100-170dC) que foi o grande sistematizador do conhecimento astrológico, descrevendo no Almagesto e no Tetrabiblos tudo o que se conhecia a este respeito e que se coadunava com as premissas filosóficas de Aristóteles. A posição dos signos não sofreu qualquer actualização com o movimento de precessão do Sol na eclíptica anteriormente descoberto por Hiparcho (190aC-120aC). O ano sideral [intervalo de tempo para o Sol dar 360 graus na eclíptica] corresponde a 365.2564 dias solares e é mais longo do que o ano solar porque o ponto vernal, devido à precessão dos equinócios, retrocede por ano ao longo da eclíptica 50.2 segundos de arco, como resultado do movimento de “pião” do eixo da Terra em torno do eixo da eclíptica.]
Em 1582, após longos debates de elevado calibre relacionados com a recolocação do dia de Páscoa de acordo com a regra do Concílio de Niceia (ano 325), a principal consequência foi o acerto do calendário. O papa católico Gregório XIII determinou a anulação de 10 dias em 1582 [o dia seguinte a 1582/10/04 foi 1582/10/15 — o que, em tempo de Reforma foi mais "uma acha para a fogueira" para os Protestantes…] e deixou de considerar bissextos os finais de século não divisíveis por 400 [porque o calendário Juliano em vigor até à reforma gregoriana, por considerar o ano de 365.25 dias, havia introduzido dias a mais]. Mas esta mudança parece não ter qualquer efeito no acerto das datas das constelações para a astrologia…

 

 História : Até ao séc. XVIII só eram conhecidos (para além da Terra e da Lua) os seguintes planetas: Mercúrio, Vénus, Marte, Júpiter e Saturno. As descobertas de planetas posteriores conduziram à autonomia de atributos astrológicos até aí ainda não definidos (ou estariam confundidos nos corpos entretanto já conhecidos?).

 

 Metodologia : O zoodíaco [faixa das constelações do céu que o Sol "percorre" ao longo do ano] herdado dos caldeus e babilónios apoiava-se num sistema sexagesimal que dividia (comodamente) os 360º (aproximadamente os dias do ano) em 12 partes iguais. Isto continua a vigorar na astrologia. Ora, a divisão astronómica das fronteiras das constelações da IAU [estabelecida em 1932] não corresponde à divisão exacta da eclíptica em 12 partes iguais (poderão os detractores argumentar que divisão actual é arbitrária). Por outro lado, considera, a IAU, 13 signos zodiacais. Há ainda alguns autores de astrologia que incluem Ophiuchus (Esculápio [para os Romanos] ou Serpentário = aquele que suporta a serpente) como signo astrológico. Para os astrólogos modernos isto poderá eventualmente ser um enriquecimento…

 

 Questão : Se — hipótese — o nosso sistema solar fosse binário? Preocupar-se-ia a astrologia em explicar esta importante lacuna em anteriores previsões?

 

 Questão : Terão os cometas (e os meteoros) importância na astrologia?

 

 Questão : O zoodíaco babilónico é zoomórfico (as constelações foram primordialmente representações de animais). Essas mesmas constelações foram enriquecidas com as mitologias dos diferentes povos: egípcia, grega, romana, árabe… neste lado (ocidental) do mundo. Terão as astrologias dos diferentes povos (como os tibetanos) alguma equivalência?

 

 Questão : O Sol percorre Leão em mais de 30 dias e Escorpião em menos de dez dias. Serão os nativos do Escorpião mais raros?

 

 Questão : Em que se baseiam os astrólogos ao dizerem que “entrámos na Era do Aquário”? Provavelmente aqui — apenas para os grandes ciclos — a astrologia já considera a precessão…

 

 Questão : A visão do céu modificou-se (como anteriormente referiu Carlos Reis). As constelações não são mais do que idealizações de pontos que virtualmente se encontram projectados no mesmo "plano". É uma visão estática e profundamente geocêntrica. Escorpião visto de outro local do espaço poderia parecer, com outros olhos, um coelho! E se tal acontecesse seria mais provável que os atributos dos nativos deste signo fossem adaptados à "personalidade" desse animal?

 

 Questão : Não existirá um certo romantismo sobre os atributos dos planetas e constelações nas características de personalidade dos indivíduos?

 

 Teste : Quem nunca realizou este teste desafio-o a verificar em que constelação se encontrava o Sol (signo) à data do seu nascimento (a hora do dia é pouco relevante para o Sol; mas não o é para Mercúrio, Vénus e Lua). Esta experiência pode ser realizada com qualquer software básico que disponha de fronteiras de constelações, ou possibilite um Planet Report. Verificará que, na maioria dos casos, o signo solar do seu nascimento não corresponde àquele que pensava! Verificará o mesmo para o signo ascendente (constelação surgir no céu do lado nascente), descendente e meio-céu. Se tal exercício contribuir para algum distanciamento crítico em relação a "verdades milenares e universais" então pode ser interessante! (Testar aqui)

 

 Contra-argumento : Alguns astrólogos dizem: é exactamente por causa isso que existem correcções de ângulo nos horóscopos. E assim, um Touro (que na realidade é Carneiro) continua a ser Touro, só que herdou os atributos do Carneiro — não é simples?

 

 Questão : Será mesmo Carneiro?! Porque razão continuam os astrólogos a atribuir nomes dos signos que já o não são? Aries (tem a mesma raiz de aríete, uma arma de arremesso contra as portas dos castelos) tem apenas duas estrelas… Que relação terá com o animal carneiro (que se encontrava representado na extremidade de tal arma)? Será a teimosia? Tenacidade?

 

 Questão : Terão alguma importância as massas físicas dos diferentes corpos planetários na astrologia? E as massas das constelações?

 

 Questão : Será essa influência extensiva aos restantes seres vivos? [Antropocentrismo?]

 

 Questão : A interpretação da astrologia é feita através da geometria de conjunções, oposições, triangulações e quadraturas, modelos planos. Será aceitável que as explicações (esotéricas) da astrologia estejam baseadas fundamentalmente em alinhamentos geométricos?

 

 Metodologia : Karl POPPER sobre o debate da natureza e metodologia da ciência introduziu a importante questão do teste. Conseguirá um modelo ou teoria resistir aos testes de verificação das suas teses? Se sim, continuam válidos os paradigmas… até que surjam outros que explicam onde é que um modelo / teoria é incompleto, onde não consegue realizar predições. Foi por isso que a teoria geocêntrica foi substituída pela heliocêntrica e esta mais tarde pela gravitação newtoniana e esta pela relatividade einsteiniana e esta pela…

 

 Questão : Existem milhares de modelos interessantes do ponto de vista de sabedoria e do senso comum. Cito apenas dois exemplos: o Y King e o Feng Shui, que (até) têm alguma aplicação em domínios como a psiquiatria ou a aquitectura. Mas (voltando à astrologia) conseguirão modelos como estes ser consistentes na explicação dos fenómenos e prever comportamentos? Onde é se encontram as suas vulnerabilidades e lacunas? Que pretendem explicar? O que provam? E o que não conseguem explicar?

 

 Tese : Quem não se interroga sobre as vulnerabilidades nos modelos / teorias ou é ingénuo, ou crédulo, ou cego, ou então falta-lhe o sentido crítico. Isto é válido para qualquer paradigma ("verdade" aceite pela maioria das pessoas), seja na ciência, na religião, na filosofia, na política, na arte, ou na vida…

 

 Questão : Estará a Ciência isenta de críticas, lacunas, vulnerabilidades?

 

Pedro FÉLIX, nativo de Ophiuchus

 

Eu não acredito na Astrologia; sou Sagitário e nós somos muito cépticos
Arthur C. Clarke (nascido em 1917/12/16)


MSG 1681
From: "Paulo Pires" <paulo.pires@…>
Date: Mon Jan 24, 2000 12:18 am
Subject: [astronomia] A q signo pertencemos afinal??????

 

Vejam afinal a que signo pertencem…

Um possível "calendário" dos signos, de acordo com a posição do Sol, é o seguinte:

Signo
Aries
Taurus
Gemini
Cancer
Leo
Virgo
Libra
Scorpius
Ophiuchus
Sagittarius
Capriornus
Aquarius
Pisces
Início
18 Abr
14 Mai
21 Jun
20 Jul
10 Ago
16 Set
31 Out
23 Nov
29 Nov
18 Dez
19 Jan
16 Fev
12 Mar

 

We shall not cease from exploration,
and the end of all our exploring will be to arrive
where we started and know the place for the first time. 

T. S. Eliot  


Paulo Pires
P.S.: Mais um nativo do signo Ofíuco.

 


MSG 1682
From: "astro cef" <astro_cef@…>
Date: Tue Jan 25, 2000 12:43 am
Subject: [astronomia] Re: A q signo pertencemos afinal??????


Boa! Passei de Escorpião a Virgem [1961/10/30]. Ou será que não é assim tão bom.
Se por um lado os escorpiões têm mau feitio (segundo os astrólogos) saber que sou "Virgem" aos 38 anos está a começar a afectar-me. Ah! AH! AH!
Agora fora de brincadeiras. Porque que não envias esses dados aos astrólogos deste país? Pode ser que assim eles acertem as previsões…

 


From: "Paulo M." <paulo_m@…>
Date: Mon Jan 24, 2000 6:16 pm
Subject: [astronomia] Re: Re3:Astrologia vs Astronomia

 

-----Mensagem original-----
De: Fernando Martins <fmartins@…>

 

>contudo não é por "inveja" que os Astrónomos lutam contra a Astrologia

AI É, É!!! Então andam vocês aí bem comportadinhos e os papás (comunicação social) dão mais atenção ao mano rebelde (astrologia)? Perdoem-me esta deturpação profissional (sou psiquiatra, remember?) mas há uma ligeirinha dor de coto nas invectivas contra a dita…

 

>Se gosta de Astrologia, deve discuti-la e falar dela com outros "crentes", e parar de nos tentar convencer, visto que até agora não apresentou nenhum argumento válido para nos ilucidar ou "converter".

EU DETESTO ASTROLOGIA! Não venho defendê-la, apenas criticar a vossa argumentação tíbia e por vezes infantil! Não quero convencer ninguém de nada mais que preocuparem-se am adquirir abordagens científicas e capacidades de argumentação correctas, algo que por vezes tem faltado por trás das vossas admiráveis manifestações de boas intenções anti-astrológicas… Por isso mesmo não apresentei ainda argumentos válidos porque não tenho nenhuns, não quero ter e duvido que os hajam…

 

>Se tens mais dúvidas vê o texto de Pedro FÉLIX

Se é o que eu penso, ADOREI! Questões bem colocadas e na "mouche"… contudo, uma argumentação racionalista demais para o meu gosto, baseando-se em pressupostos científicos que poderão nada ter a ver com a questão da astrologia, mas mesmo assim um texto ponderado e íntegro.

Paulo M.


 Posteriormente a este debate :

Com base na tabela [não fixa] obtida pelo Paulo Pires, elaborei o diagrama do lado direito em visão circular, a fim de evidenciar a irregularidade dos intervalos dos de tempo do Sol nas constelações ao longo do ano e de acordo com as fronteiras:

Signo Início
Aries 18 Abril
Taurus 14 Maio
Gemini 21 Junho
Cancer 20 Julho
Leo 10 Agosto
Virgo 16 Setembro
Libra 31 Outubro
Scorpius 23 Novembro
Ophiuchus 29 Novembro
Sagittarius 18 Dezembro
Capriornus 19 Janeiro
Aquarius 16 Fevereiro
Pisces 12 Março

 

 

As datas (em sentido retrógrado) correspondem ao Sol no início de cada signo do zoodíaco astronómico 

Este calendário foi obtido para a precession epoch 2000.1.
Atenção: As datas NÃO devem ser consideradas fixas! A posição do Sol, embora lenta, está sempre em deslocamento ao longo do Zoodíaco. O ponto Vernal do equinócio de Março consegue ser calculado com rigor astronómico. Num período relativamente curto (de 200 anos) os limites poderão variar um dia. Isto acontece porque o movimento de translação do Sol na Galáxia (ou mais propriamente o movimento de precessão) é realizado em cerca de 26 mil anos.

 

 Testar agora para uma data qualquer : (após 1900/01/01)

• o signo solar (em que constelação do Zoodíaco está o Sol)

• o signo lunar

• a posição dos planetas

• carta gráfica heliocêntrica com as posições dos planetas

• o céu acima, nessa data (e hora)

 

Abrir ou fazer o download do file: ha_sign0.xls (23 kb)

Após inserir a data completa, clicar nos hyperlinks que aparecem na folha, mais abaixo.

Esta folha de cálculo EXCEL usa como referência externa o Heavens-Above.com



Em 2004/06 através de pesquisa pude observar que este debate já fez correr muita tinta e bastantes feridos (no seu orgulho-próprio).

Astrology versus Astronomy
Astrology is the religion which claims that your life is influenced by the alignment of the Sun, Moon, planets, and stars. Astronomy is the scientific study of outer space. Most astronomers do not believe in astrology. Who's right? Decide for yourself by visiting the following Web sites in which several astronomers present the case against astrology.
http://www.griffithobs.org/IPSRealConst.html
http://www.griffithobs.org/IPSrealrealconstellations.html
http://www.objectssearch.com/pedia/get.jsp?page=/wiki/Zodiac
http://www.badastronomy.com/bad/misc/zodiac.html
http://www.badastronomy.com/phpBB/viewtopic.php?t=10072&highlight=
http://amateurastronomy.org/Events/EH2710.html


Outras leituras
http://science.nasa.gov/headlines/y2004/17dec_heliumstream.htm
http://www.meta-religion.com/Esoterism/Astrology/distant_beginnings.htm
http://www.astronomy-telescope.com/chinese-astrology-zone.html
http://astroinfo.ro/carti/Astronomy.pdf
http://www.astronomy.org.nz/aas/MonthlyMeetings/MeetingApr2002.asp
http://www.irbs.com/bowditch/pdf/chapt15.pdf

 Definition of a Planet :

The IAU notes the very rapid pace of discovery of bodies within the Solar system over the last decade, and so our understanding of the Trans-Neptunian Region is therefore still evolving very rapidly. This is in serious contrast to the situation when Pluto was discovered. As a consequence, the IAU has established a Working Group to consider the definition of a minimum size for a Planet. Until the report of this Working Group is received, all objects discovered at a distance greater than 40 AU will continue to be regarded as part of the Trans-Neptunian population.
IAU Circular 8577 announced on July 29 2005 the discovery of three relatively bright Trans-Neptunian objects by M. E. Brown, C. A. Trujillo, and D. Rabinowitz using the Palomar 1.2-m Schmidt telescope. One of these objects, 2003 UB313, appears to be as big as or slightly bigger than the planet Pluto. The discovery of 2003 UB313 has precipitated the need for such a definition in order to decide whether 2003 UB313 is to be classified as a planet or not. Until then the object will not be given an official name by the IAU.
IAU 2005/08/01

 

> Como irritar os signos — humor

 

> Astronomias