A aventura do sólido harmónico 

(vindo dos quadrados mágicos e dos carrilhões de pregos) [1983]

Uma tentativa de explicação gráfica [desde 1994] (e com som num futuro não muito distante) dos encadeamentos harmónicos: a face do sólido harmónico.

A minha ideia básica consiste em conceber um modelo n-dimensional que permita visualizar (e melhor compreender graficamente) as alterações dos encadeamentos dos acordes na maioria das músicas que seguem o tonalismo.
Pretendo realizar este modelo simultaneamente com animação gráfica e som. A seu tempo…

   

Graficamente uma ligação de cada nota com outra nota vizinha representa um intervalo harmónico:
          ligação | : quinta justa;
          ligação / : terceira maior;
          ligação \: terceira menor;

Como é possível observar-se na figura ao lado, por mim criada, os lados opostos do quadrilátero sequências iguais de notas. Ora é aqui que entra o conceito de face de um sólido em que as "arestas" paralelas apresentariam as mesmas notas…. Tratar-se-á, porventura, de um "sólido ideal", sem representação tridimensional…

Do ponto de vista da harmonia, existe uma leitura parecida com a notação matemática:
          um triângulo |> é um acorde maior; e
          um triângulo <| é um acorde menor.

A relação de um |> com outro |> acima forma uma relação Tónica - Dominante (I - V)… Outras relações harmónicas podem ser facilmente reconhecíveis pela quantidade de notas comuns/diferentes entre 2 acordes…

Neste esquema cada nota relaciona-se no primeiro nível — vizinhança mais próxima — com oito notas diferentes o que é importante num conjunto de 12 notas cromáticas dentro de uma oitava; e no segundo nível surgem as restantes 4 notas.

Outros acordes poderão ser representados — não apenas por triângulos ou losangos — através de ligações gráficas assentes em nodos.


Relacionado com este "meu" tema (tão especial) que me tem acompanhado, encontrei isto:
Words and chords (july 2000). In the Beatles' songs…
http://www.icce.rug.nl/~soundscapes/VOLUME03/Words_and_chords.html


A setio area e a vontade de construção na música de DEBUSSY e BARTÓK
http://mat.fc.ul.pt/pt/noticias/doc/Abstracts/EuricoCarrapatoso270203/ecarrapatoso.html

 

 



h/Gounod; Jesus: the Joy of the World (the man's desire?)


Home (sweet home)     |      Harmonias