Alberto Neto Simões Dias (1931/02/11 — 1987/07/03)
esse Caminho não tem fim…


Carta a um jovem ator (River Phœnix)

Milton Nascimento

 

Se um dia a gente se encontrar

e eu confessar que vi um filme tantas vezes

pra desvendar os olhos teus!

 

E se a gente se falar,

contar as coisas que viveu,

o que esperamos do amanhã

Será que pode acontecer?

 

Mas paralelo ao personagem

eu quis saber mesmo é de ti!

 

Queria que fosses feliz,

como a água calma inunda

as suas margens de carinho,

um peito aberto a quem chegar!

 

Com o teu rosto diferente,

uma paisagem nos induz

uma paisagem de inocência

e que se sabe e que conduz…


Conduz agora este momento,

o pensamento e os olhos meus,

brilhando de emoção e grato

— Alguém que só te conheceu

num filme que viu tantas vezes…


Este poema aconteceu!




De outras canções

de Milton Nascimento

Menestrel de Alagoas


Quem é esse viajante?
Quem é esse menestrel?

Que espalha a esperança

e transforma sal em mel!

Quem é esse que caminha
falando em rebelião?
Como quem fala de amor
para moça no portão!



Coração civil

Se o poeta é o que sonha o que vai ser real,
quero ver os sonhos que o homem trás
e esperar pelos frutos no quintal!


Canção do Novo Mundo

Ah! Minha estrela amiga:
porque você não fez a bala parar?

 


 
 
http://www.esec-pde-alberto-neto.rcts.pt/caract_p_alb_neto.htm